Nota da ANTF sobre o combate à Covid-19

Escrito por: Antf | postado em: 23/03/2020

Num esforço conjunto e sem precedentes, as concessionárias ferroviárias de carga associadas à ANTF implementaram nos últimos dias uma série ampla de ações de prevenção à disseminação do novo coronavírus (Covid-19). Adotadas com rigor pelas empresas do setor, as medidas seguem os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde e pelas autoridades e agências brasileiras em resposta à pandemia.

De um lado, essas medidas — que incluem, entre muitas outras, monitoramento por equipes médicas, 24 horas por dia, 7 dias por semana, de funcionários com atividade presencial em áreas administrativas e operacionais, além de higienização de locomotivas — visam garantir a saúde e o bem- estar de seus colaboradores; de outro lado, o objetivo é manter, sem interrupções, em curso normal e com total segurança, as operações das ferrovias, de modo a evitar o desabastecimento de produtos ou até mesmo um colapso logístico no país.

Com isso, as concessionárias asseguram a prestação plena do serviço de transporte de carga de suas malhas, essencial e de interesse público, e reforçam o compromisso em oferecer soluções, por meio de seus corredores logísticos, para o transporte de qualquer tipo de volume — mas, especial- mente neste momento de crise e apreensão, de colaborar com protagonismo para o pleno abastecimento de produtos de alto consumo para a população.

Para tanto, a ANTF, através de suas associadas, coloca-se à disposição do governo, da agência reguladora e de autoridades no sentido de facilitar ainda mais o uso e tráfego das linhas ferroviárias de carga para o transporte de insumos de primeira necessidade e alimentos. Essa é mais uma valiosa contribuição — mais um esforço do setor — que visa tranquilizar a sociedade quanto ao fornecimento desses produtos durante o período de combate à pandemia. Para que possam continuar a desempenhar esse papel relevante, o Ministério de Infraestrutura reconheceu a essencialidade do serviço de transporte ferroviário de carga, “vital para a garantia do abastecimento do país”, de acordo com publicação oficial daquele ministério (https://infraestrutura.gov.br/component/content/article.html?id=9606). As concessionárias têm a expectativa de que, especialmente neste momento de crise, o anúncio permitirá uma extensão no tempo, mesmo que pontual, para o cumprimento de suas obrigações financeiras e regulatórias.

A compra de 5 milhões de kits de testes rápidos pela Vale (associada da ANTF) foi a mais recente ação de relevo — e de caráter humanitário — do setor no combate à propagação do novo coronavírus no Brasil. O material foi comprado na China no dia 22 de março graças à enorme rede de logística da empresa; a quantidade representa metade das unidades de que o Ministério da Saúde necessita neste momento. A Vale também está comprando de fornecedores chineses equipamentos de proteção individual, como óculos, luvas e máscaras, para médicos e enfermeiros. Como os kits de testes rápidos, os EPI serão encaminhados ao governo brasileiro para distribuição nos estados e municípios.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 24/03/2020]

 

Controladora da Rumo, Cosan não fará redução do seu quadro de pessoal

De forma a contribuir para o pleno funcionamento dos sistemas logísticos e de energia do país neste momento de crise oriunda do Covid-19, e em função das necessárias medidas tomadas para quarentena de parte da população, a Cosan e suas empresas controladas (entre elas a concessionária ferroviária Rumo) decidiram que, neste momento, não farão redução do seu quadro de pessoal. “Nosso foco está em tomar as medidas necessárias para a continuidade das atividades de forma remota e presencial, garantindo as ações pertinentes nas áreas de segurança física, de higiene e suporte psicológico. Os nossos times que precisam estar fora de casa para que todo o resto da população esteja em quarentena estão recebendo todas as orientações e suporte necessários para que estejam seguros e com as condições de trabalho e saúde adequadas. Neste momento único na história de nosso país, gostaríamos de prestar os nossos mais sinceros agradecimentos ao time Cosan e seus familiares pelo enorme comprometimento, energia e responsabilidade em fazer o Brasil continuar a funcionar”, resume a empresa em comunicado.

 

Vale anuncia pacote de ajuda temporária para fornecedores

Hoje, a Vale anunciou mais uma série de medidas de suporte para seus fornecedores durante a crise provocada pela epidemia do novo coronavírus. A estimativa é que, por meio dessas ações, a empresa injete cerca de R$ 160 milhões na economia nos próximos dias somente com a antecipação de pagamentos para pequenas e médias empresas. “No momento em que o país passa por uma grande incerteza, usaremos nossa rede de distribuição, presença na base da cadeia produtiva e capacidade de mobilização para ajudar os nossos fornecedores a enfrentar os impactos dessa pandemia, sempre primando pela saúde e segurança das pessoas”, afirmou Alexandre Pereira, diretor-executivo de Suporte ao Negócio da companhia.

As medidas anunciadas em comunicado são as seguintes:

“1. A Vale adiantará, antes mesmo do vencimento das faturas, os pagamentos às pequenas e médias empresas por serviços já realizados e materiais entregues. Serão desembolsados com essa ação mais de R$ 160 milhões. A medida deverá beneficiar mais de mil fornecedores de todo o país.

2. Nos próximos 30 dias, a Vale reduzirá em até 85% o prazo de pagamento de serviços e materiais que ainda serão faturados para cerca de 3 mil fornecedores de pequeno e médio portes.

3. A Vale também suportará financeiramente as empresas e trabalhadores da construção civil de projetos que a empresa está suspendendo. A suspensão tem dois objetivos: reduzir a circulação de pessoas nas instalações da empresa, aumentando a segurança dos próprios trabalhadores terceirizados e dos empregados que seguem atuando nas funções essenciais da operação; e concentrar recursos em atividades essenciais para o país neste momento. Não haverá impacto sobre obras relacionadas à segurança de barragens.

A Vale atua em conformidade com os protocolos de saúde e segurança estabelecidos pelas autoridades e agências de cada um dos países em que opera e está monitorando o desenvolvimento da situação”.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 27/03/2020]

 

VLI anuncia pacote de doações para 5 estados e garante manutenção de empregos

A VLI, associada da ANTF que opera terminais, ferrovias e portos, elaborou um pacote de ajuda humanitária da ordem de R$ 6 milhões para auxiliar os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão, Tocantins e Bahia no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. “O momento pede união e serenidade para que, juntos, empresas, poder público e sociedade possamos vencer esse desafio. Nossa contribuição baseia-se num olhar sobre as necessidades e na certeza de que precisamos cuidar das pessoas”, garantiu Ernesto Pousada, presidente da VLI.

O pacote de doações atenderá três públicos: profissionais da rede pública de saúde, caminhoneiros e comunidades dos cinco estados. Serão distribuídos 420 mil itens entre máscaras e luvas para profissionais da saúde. Em outra frente, a VLI vai auxiliar parceiros que, assim como a companhia, integram a rede de serviços essenciais. Os quase três mil caminhoneiros que passam diariamente nos terminais da VLI receberão, ao longo de aproximadamente um mês, 100 mil itens de alimentação, lanche para viagem e higiene pessoal para que possam continuar as suas atividades em segurança.

Comunidades dos cincos estados e caminhoneiros também serão contemplados com a doação de 30 mil cestas básicas. Os processos de aquisição dos itens já estão em curso e a companhia priorizará os fornecedores de cada estado como maneira de estimular a economia regional. As entregas serão iniciadas ainda no mês de abril e a distribuição será feita pelos governos dos estados.

A VLI também firmou compromisso para manter, durante a crise, os mais de 7.500 empregados. Nas últimas semanas, a companhia adotou uma série de medidas para garantir a saúde e a segurança de empregados e parceiros e para manter suas operações — transporte de alimentos, combustível e outros produtos — consideradas como serviço essencial para o país.

 

Vale deve receber primeiro lote de kits de teste rápido

A Vale recebeu na China nesta sexta-feira, 27, o primeiro lote dos 5 milhões de kits de teste rápido para novo coronavírus (Sars-CoV-2), que provoca a doença Covid-19.  A remessa de 500 mil unidades virá por avião, com partida prevista do Aeroporto Internacional de Guangzhou Baiyun, na província chinesa de Guangdong no domingo (29/3), e chegada esperada no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, na segunda-feira, 30, à noite. Os 4,5 milhões de unidades restantes serão entregues pelo fornecedor ao longo do mês de abril.

O teste, produzido pela empresa chinesa Wondfo, tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e foram doados pela Vale para ajudar o governo brasileiro no combate à disseminação da doença no país.

Toda a logística de distribuição dos kits no Brasil ficará sob responsabilidade do Ministério da Infraestrutura.

 “A Vale oferece essa ajuda à sociedade brasileira em um momento em que o País se une pela saúde e segurança das pessoas. Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, afirmou o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 07/04/2020]

 

Telemedicina e I.A. ajudam VLI no combate ao novo coronavírus

Associada da ANTF, a VLI dá continuidade às ações para conter o avanço do novo coronavírus no Brasil — mas sem comprometer a oferta de serviços essenciais para o escoamento de bens pelo País e para o exterior. A partir desta terça-feira, 7, a ferrovia passou a utilizar uma plataforma virtual de telemedicina, que pode ser acessada remotamente por todos os aproximadamente 7.500 funcionários da companhia, e que está apta a auxiliar no diagnóstico de diversas doenças, entre elas a própria Covid-19.

Por meio de recurso de inteligência artificial identificado pelo Inova VLI (programa de inovação da companhia), desenvolvido pela startup Conexa Saúde, o empregado é avaliado, à distância, com segurança e precisão, por um médico do Departamento de Saúde da concessionária — a qualquer hora do dia ou da noite. A avaliação é feita com a ajuda de um aplicativo e por meio de mensagens de texto e/ou de áudio, ou chamadas de vídeo de alta qualidade, que podem ser feitas por um telefone celular, por exemplo. Caso haja necessidade, um especialista da Conexa Saúde é acionado remotamente, de forma a permitir que o empregado seja avaliado por especialistas de diversas áreas, como clínica geral, cardiologia, neurologia, ortopedia, endocrinologia, dermatologia, oftalmologia e psiquiatria.

O monitoramento da temperatura corpórea dos empregados da VLI é feito com a ajuda de pirômetros — sensores infravermelhos de alta precisão — e câmeras termográficas capazes de desempenhar a função em maior escala. Três câmeras termográficas estão sendo instaladas nos acessos principais ao Terminal Integrador Portuário Luiz Antônio Mesquita (Tiplam), na Baixada Santista, na Oficina de Paulínia, no interior de São Paulo, e na Oficina de Divinópolis, no interior de Minas Gerais. Juntas essas unidades recebem mais de 1.500 empregados diariamente.

Com apoio de inteligência artificial, por meio da utilização de algoritmos, as câmeras são capazes de verificar a variação de temperatura, até 3 metros de distância entre o aparelho e o indivíduo, por meio da mensuração do calor emitido pelo canal lacrimal, situado próximo dos olhos. Para auxiliar nas verificações, as câmeras podem ser conectadas, via Wi-Fi, a monitores, o que facilita a leitura e a interpretação dos dados.

A companhia adquiriu 90 pirômetros digitais para aferir a temperatura dos empregados e parceiros em outras operações. Caso seja notada qualquer alteração na temperatura, o empregado voltará para casa e receberá assistência médica por uma equipe da companhia.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 13/04/2020]

 

Lote com 286 mil máscaras N95 compradas pela Vale na China chega ao Brasil

Comprado pela Vale, associada da ANTF, um lote com 286 mil máscaras N95 (de um total de 2,54 milhões) e 3,16 milhões de máscaras cirúrgicas descartáveis, além de 216 mil luvas, 450 mil aventais e 2.250 pares de óculos de proteção, chegou em São Paulo neste fim de semana em avião fretado pela companhia. Os equipamentos de proteção individual (EPIs) — os mais indicados para o uso de médicos e enfermeiros expostos a ambientes contaminados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), que provoca a Covid-19 — serão doados ao Governo Federal, que fará a distribuição para unidades de saúde espalhadas pelo país.

No total, a Vale irá trazer mais de 600 toneladas de insumos para ajudar no combate à disseminação da doença no Brasil ao longo do mês de maio. São 15,8 milhões de EPIs e 5 milhões de kits de teste rápido de detecção do novo coronavírus viabilizados com a ajuda logística da empresa na China, país com o qual mantém uma parceria de quase 50 anos. Há ainda insumos – entre EPIs e kits – que serão entregues em regiões onde a Vale atua. Ao todo, estão sendo usadas 14 aeronaves, das quais 12 cargueiros e dois aviões de carreira.

Até agora, a empresa já entregou ao governo brasileiro 1,5 milhão de kits de teste rápido e pouco mais de 5 milhões de equipamentos de proteção para profissionais de saúde. Todas as aquisições feitas pela Vale na China seguem estritamente as recomendações e especificações técnicas do Ministério da Saúde.

“A Vale oferece essa ajuda à sociedade brasileira em um momento em que o país se une pela saúde e segurança das pessoas. Estamos lançando mão da nossa rede de logística na Ásia para trazer ao Brasil insumos que poderão fazer a diferença na vida das pessoas”, afirma o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 16/04/2020]

 

Cosan e Raízen doam mais de 1,1 milhão de litros de álcool 70%

Controladora da Rumo, associada da ANTF, a Cosan adequou as usinas da também controlada Raízen e iniciou a produção de álcool 70% em tambores: até o dia 15 de abril, já foram doados mais de 1,1 milhão de litros do produto para 45 hospitais em 29 cidades de sete estados, além de prefeituras, forças policiais do Rio de Janeiro e de São Paulo, usinas sucroalcooleiras e caminhoneiros.

Também foram realizadas doações para dois hospitais de campanha de referência daqueles dois estados. Toda a movimentação de doações supera os R$ 10 milhões.

Paralelamente, a Raízen está doando 2.000 litros/dia de diesel para os geradores de energia do hospital de campanha do Pacaembu e disponibilizou 60 mil vouchers de crédito combustível no valor de R$ 50 para profissionais da saúde.

 

 

[ATUALIZAÇÃO EM 28/04/2020]

 

Hospitais de Minas Gerais, Maranhão e Espírito Santo recebem equipamentos doados pela Vale

Sete hospitais públicos do Maranhão, dez hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em municípios mineiros e quatro em municípios capixabas receberam nos últimos dias novos volumes de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) doados pela Vale para utilização pelos profissionais de saúde daqueles estados.

No Maranhão, foram 1 milhão de máscaras cirúrgicas descartáveis, 550 óculos de proteção e 126 mil luvas doadas pela empresa; em Minas Gerais, mais de 740 mil de EPIs, sendo 560 mil máscaras cirúrgicas descartáveis, 180 mil luvas e 800 óculos de proteção; no Espírito Santo, mais de 380 mil EPIs, entre eles 316 mil máscaras cirúrgicas descartáveis e 72 mil luvas. A distribuição foi feita com base em critérios técnicos, levando em conta a população, a distribuição já feita pelo Governo Federal e a presença da Vale na região.

Até agora já chegaram 15,7 milhões dos 15,8 milhões de EPIs que a associada da ANTF irá repassar ao Ministério da Saúde, além de 4,5 milhões de um total de 5 milhões de kits de teste rápido já anunciados pela empresa. A carga das oito aeronaves — dois de carreira e seis cargueiros — soma quase 255 toneladas, o equivalente ao peso médio de quase 255 carros populares. O material foi distribuído em 21.083 caixas.

No total a Vale irá trazer da China mais de 600 toneladas de insumos para ajudar no combate ao novo coronavírus no Brasil até maio. Soma-se à carga mais 5 milhões de kits, comprados por bancos brasileiros com a ajuda logística da empresa na China, país com o qual a Vale mantém uma parceria de quase 50 anos. Para trazer todos esses volumes serão necessárias 15 aeronaves: 13 cargueiros e dois aviões de carreira.

 

VLI, Rumo e MRS doam R$ 900 mil para rede pública de ensino da Baixada Santista

Associadas da ANTF e com atuação na Baixada Santista, VLI, Rumo e MRS firmaram parceria junto à Comunitas — organização social especialista em parcerias público-privadas — para a doação de R$ 900 mil. O valor será direcionado para uma bolsa-merenda de estudantes da rede pública municipal e estadual de Santos e Cubatão. O recurso será disponibilizado em forma de ticket alimentação para a utilização por parte das famílias. Esta é a primeira fase de um projeto dividido em duas etapas, e que pretende chegar a um total de arrecadação de R$ 3 milhões.

O objetivo das empresas, além de ajudar os mais necessitados neste momento, é sensibilizar outras instituições da região para ampliar o valor e conseguir contemplar os 26 mil alunos de todas as idades (creche, pré-escolar, ensinos fundamental e médio) que fazem parte de famílias enquadradas na faixa de extrema pobreza. O auxílio também pode ser feito por pessoas físicas, por meio de doações em plataforma online disponível neste link.

Esse apoio foi orientado pela necessidade de reforço alimentar para crianças e adolescentes que estão sem aulas em razão do isolamento social causado pela pandemia. Os valores podem variar de R$ 55 a R$ 101 por estudante, conforme a fase escolar. O benefício será encaminhado para a casa dos beneficiados via correio com base no cadastro disponibilizado pelas secretarias de educação dos municípios.

“Temos o compromisso de compartilhar valor com as comunidades das áreas de atuação da VLI. Além da continuidade de projetos sociais que já desenvolvemos na baixada santista, estamos ampliando as nossas iniciativas de ajuda humanitária. O momento pede ainda mais parceria e engajamento entre empresas, poder público e sociedade com o propósito comum de superarmos esse grande desafio”, destaca Ernesto Pousada, presidente da VLI.

“Nesse cenário desafiador criado pela pandemia, a Rumo busca se posicionar de forma relevante para a sociedade. Junto com ao Comunitas, acreditamos que a transferência direta de renda é uma política pública de proteção social com efeitos imediatos para os cidadãos mais vulneráveis. É uma ‘rede do bem’ que conecta as pessoas e tem efeitos multiplicadores para as economias regionais, pois os pais dos alunos poderão consumir produtos nos comércios locais da Baixada Santista”, diz João Alberto Abreu, presidente da Rumo.

Segundo o presidente da MRS Logística, Guilherme Mello, “a ajuda humanitária demonstra a grande preocupação da empresa com as comunidades por onde trafega. Com a ação, a MRS contribui para ajudar não só as crianças, mas também as famílias necessitadas nesse momento tão difícil que estamos vivendo”.

 

— Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários —

SETOR DE AUTARQUIAS SUL - QUADRA 01
BLOCO J - ED. CNT - TORRE A | SALA 605
70070-010 | BRASÍLIA/DF
Ver no mapa
  • T. (61) 3212-8900
  • F. (61) 3212-8919
Fechar

Fornecedores

Inscrições no local.

Fechar

PÚBLICO EM GERAL

Inscrições no local.

Fechar

IMPRENSA

Inscrições no local.

Fechar

Aviso

Agradecemos
seu contato

Sua mensagem foi enviada com sucesso!

Fechar

Aviso

Agradecemos
a sua inscrição

A organização enviará um e-mail com a confirmação do seu nome na lista de participantes do VII Brasil nos Trilhos 2018.